Colheita mecanizada: entenda o que é e quais seus benefícios

Como o próprio nome já diz, a colheita mecanizada é o modelo de colheita que faz uso de diversos tipos de máquinas durante os processos de produção. Essas máquinas realizam as operações de corte, trilha, separação, limpeza e armazenamento dos grãos.

Quando somente o equipamento é responsável pela colheita, ela é chamada de mecanizada, quando há divisão de tarefas com pessoas, é chamada de técnica semimecanizada.

No início da colheita mecanizada, os produtores tinham uma certa insegurança em relação ao processo. Acreditavam que o uso de equipamentos poderia tirar o emprego dos trabalhadores rurais. Porém, o que se conseguiu foi minimizar o trabalho braçal do ser humano para que ele pudesse se ocupar com outras tarefas, deixando a parte do trabalho pesado para os implementos.

Dessa forma, as máquinas passaram a proporcionar uma excelente produtividade e redução dos custos de produção, aumentando o retorno com a safra. Conheça também, outros  benefícios obtidos por meio da colheita mecanizada:

  1. Otimização no tempo de colheita;
  2. Menores perdas na produção;
  3. Maior eficiência das operações;
  4. Aumento da qualidade dos produtos;
  5. Mais segurança e conforto para o trabalhador;
  6. Exploração de áreas maiores.

Como implantar a colheita mecanizada? 

A implantação da colheita mecanizada pode variar de acordo com cada cultura. Para que você não tenha gastos desnecessários e perdas na produtividade, será importante desenvolver um planejamento para a sistematização e execução dos processos. Confira algumas dicas:

  1. Pesquisa: Para execução da colheita mecanizada, é necessário realizar um estudo da área e das suas necessidades, para que a área de cultivo esteja devidamente preparada.  
  2. Limpeza do talhão (remoção de tocos e pedras): para que as máquinas possam circular corretamente.
  3. Nivelamento do solo: Desníveis bruscos, como buracos, devem ser devidamente corrigidos para evitar o risco de acidentes ou danos ao seu equipamento.
  4. Planejamento de áreas de manobra: Considerando que as máquinas são grandes e precisam desse espaço sem prejudicar a lavoura. Há necessidade, também, de fazer o espaçamento do plantio e ter atenção ao sentido dele para facilitar a atuação do operador.